Segundo navio de milho importado da Argentina chega ao ES

Carregamento, de 27,1 mil toneladas, é isento de ICMS. Importação foi feita, pela primeira vez, por uma empresa capixaba.

O segundo navio carregado de milho importado da Argentina chegou ao Porto de Capuaba, em Vila Velha, Grande Vitória, nesta quarta-feira (26). O carregamento, de 27,1 mil toneladas, é isento de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

O primeiro carregamento de milho importado da Argentina ao estado, em agosto, foi transportado por uma empresa estrangeira. Desta vez, a importação foi feita por uma empresa capixaba, escolhida por meio de uma tomada de preços.

“A gente acompanha desde o momento do carregamento e, se for preciso, desde o momento da fazenda lá fora até o carregamento nos terminais no país de origem do produto. Depois, todo o acompanhamento e integração com os modais de frete, terminais, seguro até a entrega final aos nossos clientes”, explicou o representante da empresa vencedora Luiz Toniato.

A previsão é que, de agora em diante, novos carregamentos de milho cheguem ao estado todo mês.

“Esse tipo de operação é uma operação em commodities e há uma oscilação muito grande no preço, não só aqui dentro, como lá fora. Os nossos clientes, através das associações e cooperativas, têm pretensão de abrir tomada de preço todo mês e nós temos pretensão de trabalhar com eles não só nessa operação, mas num contrato de médio e longo prazo. Isso vai depender das oscilações de preço”, falou Toniato.

Para o secretário de estado de Agricultura, Otaciano Neto, é vantajoso para o estado que uma empresa capixaba faça o trabalho de transporte.

“Estamos vendo, com a quebra do Fundap, as empresas locais buscando alternativas que não as tradicionais que vigoraram por mais de 30 anos. Então, isso é legal, porque essa competência é uma grande geradora de empregos no Espírito Santo. O arranjo produtivo do comércio exterior vai do porto aos despachantes aduaneiros, às empresas, às operações de câmbio. Então, é muita gente envolvida”, destacou o secretário.

Isenção de ICMS

Por causa da seca em todo o país, o valor do milho aumentou e causou prejuízos para produtores de aves e suínos no Espírito Santo.

Assim, o governo do estado estabeleceu a isenção do ICMS sobre o alimento e os produtores foram até a Argentina negociar a compra e importação do milho. O produto é usado na produção de ração para aves e porcos do estado.

Fonte: Portal do Agronegócio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.