Azeite se mostra como um promissor ingrediente para a ração de peixe.

Um estudo mostrou que a adição de extrato de azeite na alimentação de peixes, teve um impacto benéfico sobre o peso, perfil lipídico e saúde intestinal dos peixes.

A Sparus Aurata (Dourada) é considerada a mais saborosa das sardinhas, e embora as capturas em mar aberto sejam modestas, o cultivo de sardinha é uma importante cultura aquática na área do Mar Mediterrâneo.

À medida que a produção de peixe de criação cresce a demanda por peixe de baixo custo, aumenta. Até recentemente, a maior parte da proteína e gordura provem de fontes marinhas, no entanto a maioria das rações é composta de subprodutos marinhos, óleo de peixe, trigo, milho, soja, uma mistura de vitaminas e um aglutinante. Com o aumento da criação de peixe, ingredientes alternativos estão sendo avaliados para poder incrementar a ração.

O azeite tem sido sugerido como um substituto adequado para o óleo de peixe na alimentação dos peixes, mas nenhum estudo examinou a sua eficácia.

Um estudo publicado no British Journal of Nutrition examinou o impacto da substituição de óleo de peixe por um extrato de azeite bioativo, aplicado diretamente na água onde estão os tanques, e esse foi oferecido a peixes juvenis criados em tanques marinhos.

Uma pesquisa utilizou 1500 sardinhas marinhas, sendo que essas foram divididas em 20 tanques. Os peixes foram alimentados duas vezes por dia com uma fórmula contendo 53% de proteína e 18% de gordura. Quatro formulações adicionais foram balanceadas, substituindo o óleo de peixe por um extrato de azeite. As concentrações de extrato de azeite foram testadas a 0,08%, 0,17%, 0,42% e 0,73% da dieta total por um período de 90 dias.

Os peixes foram pesados ​​e medidos antes, durante e no final do estudo. Além do pesar e mediar os peixes, no final do estudo foram realizados as seguintes análise:

  • Composição da carcaça;
  • Enzimas de estresse hepático intestinal;
  • Análise da mucosa intestinal;
  • Marcadores de expressão gênica de saúde intestinal

As análises acima citadas foram medidas em 18 peixes por tanque. Os peixes alimentados com uma dieta contendo 0,17% e 0,42% de extrato bioativo de azeite pesaram 5% mais do que o grupo de controle.

O extrato aparentou reduzir a porcentagem de depósitos de gordura no fígado, sugerindo que o extrato de azeite influenciou positivamente essa redução. Foram coletados 88 marcadores intestinais para avaliação, 29 deles apresentaram um resultado diferenciado, sugerindo que o extrato de azeite teve um potencial impacto para melhorar a saúde intestinal. O extrato melhorou a condição e o papel defensivo do intestino aumentando a barreira do muco intestinal, aumentando a maturação de enterócitos e melhorando a função imune intestinal.

Os autores concluem que o extrato de azeite provou ser benéfico para a saúde da sardinha marinha, e se mostra promissor como um ingrediente na ração de peixe.

ARTIGO COMPLETO

Escrito por: Lynn Kim

Tradução: Rafael Resende Silva

Fonte: Medical News Bulletin

2 thoughts on “Azeite se mostra como um promissor ingrediente para a ração de peixe.

  1. Piedade vaz

    Qual das vossas rações é adequada ao meu cão york terrie, castrado e alérgico a cereais,ele está a comer a Advance hypoalogenica mas é muito cara, gostava de saber qual a mais adequada para ele, e preço, e ele também tem excesso de peso..Obrigado

    Reply

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.